[ editar artigo]

E aí, topa este desafio?!

E aí, topa este desafio?!

 

Vocês já pensaram cada pessoa trabalha com as muitas novidades que temos nos dias de hoje? É muito comum nos depararmos com este tipo de notícia: de filas imensas em aberturas de lojas no lançamento de algum produto - geralmente ligado a tecnologia,  ingressos para determinado espetáculo, peça de teatro, show ou festival, esgotam nas primeiras horas de venda online. E aquela partida imperdível do seu clube? Putz, já acabaram os ingressos.

Na era onde estamos sempre ultra-conectados, queremos ser o primeiro a saber das novidades, mas obviamente não só saber, queremos testar, sentir e... comprar! Neste contexto, algumas empresas entenderam que para que determinado produto ou serviço tenha sucesso, não é suficiente você ser consumidor, mas também, participar do processo construtivo desta nova jornada - testando, sentindo e, principalmente, criticando.

Esta prática vem sendo chamada de early adopter e está dia a dia mais difundida, principalmente entre as startups. O propósito da maioria destas empresas é resolver uma dor do seu cliente, seja com um processo, um serviço ou um produto e quem melhor do que seu próprio cliente para falar sobre a dor dele?

O early adopter tem sido peça fundamental no sucesso de vários projetos lançados globalmente nos últimos anos, fazendo com que o processo de validação de determinadas ideias seja encurtado, uma vez que as empresas estão falando diretamente com o seu público-alvo - ou persona, facilitando o famoso product-market fit, que nada mais é do que ter um produto que satisfaça a real necessidade do mercado em que você está inserido.

No Brasil um dos exemplos mais recentes de “chamadas” de early adopters foi o C6 Bank, banco digital que fez muito sucesso dentre seus beta testers por oferecer diversos mimos para seus quase 200 mil adopters. Este processo fez com que obviamente o banco encurtasse a sua curva de aprendizado e por consequência, tivesse clientes mais satisfeitos, uma vez que eventuais falhas e sugestões dadas pelos clientes, eram tratadas de formas tempestivas.

Na VOIT não vai ser diferente. Nossa intenção de focar nos nossos clientes potenciais em um primeiro momento é entregar para eles uma experiência única de desenvolvimento de um produto que vai ajudar a resolver dores do seu dia a dia. Nascemos entendendo que podemos atuar melhorando suas margens operacionais e sendo um meio de comunicação e divulgação segmentado, suportado por tecnologia e conteúdo de qualidade.

Já pensou em fazer parte desta jornada conosco e moldar o seu mundo, dentro das infinitas possibilidades da VOIT?

Venha, seja um VOITER! Sem dúvidas, como time, chegaremos mais rápido e mais fortes.

Grande abraço!

Mundo Voit
Gustavo Bakai
Gustavo Bakai Seguir

Co-Founder da Voit. Profissional com mais de 10 anos de experiência no mercado financeiro em empresas locais e multinacionais. A VOIT está chegando para transformar a sua relação com o esporte, venha com a gente fazer parte desta revolução

Ler matéria completa
Indicados para você